28 outubro, 2019

 • Mãos

Como escolher cadeira de rodas: estrutura em X

Escolher uma cadeira de rodas não é tarefa nada fácil… ainda mais com a infinidade de marcas, modelos, materiais, medidas e funcionalidades diferentes que existem atualmente no mercado. Quem um dia achou que seria simples, ao chegar numa loja especializada vai entender do que estamos falando. E foi pensando nisso, que decidimos iniciar uma série de artigos para pontuar os prós e contras e auxiliá-los a conhecer melhor o que há no mercado, para fazer uma boa indicação técnica ou mesmo a escolher a sua próxima cadeira de rodas. Mas só para lembrar, não queremos aqui exaltar marcas e nem produtos específicos, e nem conseguiríamos num só artigo falar tuuuudo que existe, mas exemplificaremos alguns componentes técnicos que devem ser levados em consideração.

Prescrição de cadeira de rodas é feita por profissional

Bom, mas antes de começarmos, precisamos entender que prescrever cadeiras de rodas é uma atribuição de profissionais aptos e treinados, Terapeutas Ocupacionais e/ou Fisioterapeutas, pois cadeiras de rodas são dispositivos de tecnologia assistiva que auxiliam na locomoção e independência do usuário. E, portanto, devem ser adequadas especificamente para cada caso, levando-se em consideração os aspectos funcionais individuais, ambientais, as atividades básicas de vida diária (ABVD), esporte, lazer e trabalho. Já escrevemos um artigo sobre o assunto, vai lá dar uma lida.

Sempre bom lembrar que nessa jornada, o protagonista é o usuário e não a cadeira de rodas. Não existe pegar uma cadeira e ver se serve em um indivíduo, primeiro é preciso tirar as medidas e estudar os componentes físicos, biológicos, instrumentais, sociais, econômicos e principalmente os objetivos desse usuário. A cadeira de rodas deve vestir o usuário e ser um facilitador na melhora da auto-estima e qualidade de vida do indivíduo.

O mercado é amplo e variável

Atualmente existem muitos tipos de cadeiras de rodas: dobráveis em X, monoblocos, motorizadas, posturais, carrinhos e cadeiras de verticalização. E dentro dessa classificação existem centenas de opcionais, subtipos, marcas, materiais, ou seja, uma infinidade de opções, ainda mais se levarmos em conta a oferta internacional. Mas aqui nós vamos focar na oferta e demanda nacional.

Cadeira de rodas com estrutura dobrável

X simples em aço, a mais vendida do mercado

Foto da internet

Cadeira de rodas em aço, estrutura em x simples, assento e encosto de lona simples, rodas traseiras de nylon e pneus maciços e quase sem nenhum ajuste, hoje infelizmente é a cadeira de rodas mais vendida no país, pois é também a mais barata. É uma cadeira que possui uma rolagem bem dura, o que a torna extremamente pesada quando tocada, sua lona é frágil e de baixa qualidade, e faz com que abaule rapidamente, levando o quadril e a coluna a deformidades, dores e desconforto.

Esse modelo de cadeira foi concebido para ser utilizado para transporte de pacientes em ambientes hospitalares e de clínicas, porém devido ao baixo custo e falta de informação tanto de usuários recém lesionados e mesmo de alguns vendedores, ainda é muito utilizada para uso diário.

Duplo x ou x simples em alumínio

Foto da internet

Cadeiras de rodas com estrutura em alumínio e duplo x são um pouco mais resistentes, e dentro dessa categoria existem várias marcas e modelos no mercado. São muito vendidas pois possuem um preço bastante acessível. Dentro dessa categoria, também podemos colocar algumas cadeiras de rodas que possuem X simples, mas que também são muito resistentes, o que é uma vantagem, pois significa menos peso.

              Devido a sua estrutura dobrável, possuem assento e encosto em lona ou nylon, e algumas com espuma de fábrica, são de melhores qualidade do que a anterior, mas ainda assim após um tempo de uso abaúlam a estrutura, causando problemas posturais.

A maior vantagem de uma cadeira de rodas que fecha em X é o transporte em carros pequenos e para armazenagem, ela é mais fácil de se acomodar num porta malas e fechada não ocupa muito espaço em ambientes muito pequenos. A cadeira de rodas abaixo é um dos modelos que a ortobrás oferece, quando retiramos as quatro rodas ela fica desta maneira.

foto da internet

Se pretende gastar pouco e ter um custo/beneficio melhor, indico este tipo e modelo. Mas antes de escolher, devemos ficar atentos quanto as opções dos componentes, os ajustes e acessórios. Por isso, aqui vou listar alguns componentes.

COMPONENTES DA CADEIRA DE RODAS

APOIO DE PÉS

REMOVÍVEIS E/OU ESCAMOTEÁVEIS

A vantagem desse dispositivo é a facilidade de aproximar a cadeira de rodas para que o usuário realize sua transferência em pivô para uma outra superfície com maior segurança. Hoje em dia, a indústria brasileira e internacional de cadeiras com estruturas em X, possuem, na sua maioria, modelos que são tanto removíveis como escamoteáveis, a diferença está no tipo de dispositivo ou engrenagem que faz essa função.

FIXOS

As cadeiras que possuem apoios de pés fixos são, no geral, mais simples. Durante as transferências pode ficar mais difícil a aproximação da cama, sofá, vaso, carro…etc.

Porém, também existem cadeiras dobráveis em X e que possuem apoios de pés fixos que são consideradas cadeiras de alta performance e com bom desempenho, por exemplo: a Smart, possui a Infinity Sport, uma cadeira de rodas com o caimento do apoio de pés mais rente a estrutura, é fixo e a cadeira fecha em X. Mas fica por aqui que vou te mostrar que cadeiras dobráveis vão muito além de estruturas em X.

A empresa alemã Ottobock também tem uma cadeira de rodas parecida, com carinha de monobloco, mas que dobra em X, a Avangard é uma cadeira de rodas extremamente leve para o transporte, ideal para cuidadores que não possuem muita força e usuários ativos que não abrem mão da estrutura em X.

Aqui cabe ressaltar uma grande vantagem na estrutura do assento e do encosto dessas cadeiras, elas possuem um opcional muito importante para a postura e prevenção de deformidade do usuário, possuem faixas tensoras reguláveis, que podem ser ajustadas a postura do paciente, e de tempos em tempos podem ser tracionadas para dar mais estabilidade e melhorar a postura. Mais pra frente vamos mostrar como fazer esses ajustes.

Essas são as faixas do encosto, do assento é um pouco mais simples, mas também são essenciais para manter uma base mais firme para a almofada.

ELEVÁVEIS

Outro assunto delicado e bastante específico, mas que é usado indiscriminadamente. Esse tipo de acessório deve ser muito bem prescrito, pois o apoio de pés que se eleva e não tem ajuste no comprimento do joelho, não vai acomodar da mesma maneira a perna dobrada assim como ela esticada, muitas vezes é preciso ficar com os pés para fora quando ele se eleva.

Os apoios de pés eleváveis, quando abaixados para o uso ativo da cadeira de rodas, deixa o ângulo de fechamento muito aberto, fazendo com que a perna do usuário fique muito a frente de seu corpo, o que aumenta a área de giro da cadeira e pode deixar o usuário desconfortável.

O uso da elevação é feita em ocasiões extremamente pontuais, quando há deformidades no joelho, para fraturas onde a perna precisa ser mantida elevada e esticada durante todo o tempo e alguns outros casos bem específicos. Não aconselho ter este dispositivo somente para “descanso”, pois este pode ser feito por um banco, uma outra cadeira comum ou até mesmo a troca de local. Se o usuário se cansa de ficar na cadeira de rodas, o ideal é mudar para outro lugar como, sofá, cama, outra cadeira, poltrona, etc. Cadeira de rodas funcional é aquela que atende bem o principal objetivo dela, que é a mobilidade.

APOIO DE BRAÇOS

Também podem ser removíveis e/ou escamoteáveis ou fixos. Existem pacientes que fazem questão do apoios de braços, pois utilizam para “segurar” a postura na cadeira, mas ATENÇÃO, essa alternativa de estabilização de tronco é extremamente prejudicial, além de impedir a funcionalidade dos membros superiores para as atividades, na tentativa de “segurar” o tronco, o apoio pode causar problemas nos ombros devido ao peso aplicado na articulação. Apoio de braço não é apoio de tronco!!

Eles são usados para conforto, para usuários não muito ativos, ou totalmente dependentes. Porém podem ser uma “pedra no caminho” na hora da transferência. Se ele é somente escamoteável, com um clique ele vai para traz, facilitando a auto transferência, mas pode ser uma dificuldade para transferências realizadas por outras pessoas, pois dificulta a transposição da cadeira para outro lugar na parte de trás do encosto.

escamoteável

AJUSTE DE CENTRO DE GRAVIDADE E ALTURA

Algumas cadeiras de rodas com estrutura dobrável em X possuem a opção de ajustes de centro de gravidade e altura, que é feita no mancal da cadeira de rodas (estrutura onde se fixa a roda traseira), mas é importante ficar atento se ela também possui ajuste no cáster (local onde fixa a roda dianteira), pois esse ajuste somente é funcional e seguro quando é feito nas duas rodas, mantendo intacto o equilíbrio e estabilidade da cadeira de rodas . Agora, o porquê uma cadeira de rodas precisa de ajuste no centro de gravidade é outro detalhe que dá um artigo inteiro. Fique atento aos nossos posts que a gente te explica.

CADEIRA DE RODAS RECLINÁVEL

foto da internet

Este tipo de cadeira de rodas é indicado para usuários dependentes que não possuem controle cervical e de tronco e que tenham a necessidade de reclinar constantemente o encosto, por exemplo em situações de hipotensão postural ou para situações de perigo e desconforto. Mas… há algumas ressalvas sobre este modelo e há opções melhores. Vem comigo…

Dai você pode nos falar, “Ah, mas pode ser feita uma adaptação para adequação postural”. Não, não pode, somente se você não usar o recliner móvel do encosto, pois a mudança de ângulo faz todos os apoios mudarem de posição, então, não se faz adequação postural em encosto reclinável. E finalmente, é uma cadeira muito instável, como possui muitos ajustes, dobradiças e parafusos, ela facilmente fica instável.

CADEIRAS DOBRÁVEIS QUE NÃO SÃO EM X

A indústria de cadeira de rodas não para de desenvolver dispositivos facilitadores para os usuários, o mercado oferece inúmeras opções de ajustes, acessórios e tecnologias para facilitar ao usuário e também aos cuidadores no manuseio da cadeira e na sua funcionalidade.

A marca italiana PROGEO e a alemã OTTOBOCK, desenvolveram modelos de cadeiras de rodas que possuem um mecanismo de fechamento bastante diferenciado. São mecanismos para que ao mesmo tempo o usuário tenha uma cadeira de rodas leve, ativa, com diversas opções de ajustes, ela também fecha na sua estrutura para ser transportada e guardada mais facilmente, ocupando o menor espaço possível.

São marcas importadas e o preço dessas cadeiras são bem diferenciados, mas também sabemos que é impossível ter tecnologia, facilidade, leveza, ajustes e design sem pagar um preço por isso, não é mesmo?!

CONCLUSÃO

Enfim, espero que tenhamos conseguido passar um pouco sobre as cadeiras de rodas com estruturas dobráveis, sabemos que são muitos detalhes e infelizmente não da para citar tudo o que o mercado oferece, por isso é sempre importante nos atualizar, testar, pesar custos e benefícios com o usuário e a família e procurar por todas as opções antes de finalizar uma prescrição e uma compra. Lembrem-se da responsabilidade que está em suas mãos ao indicar o melhor equipamento para a qualidade de vida de um individuo.

Fique por aqui que ainda há muito o que mostrar sobre cadeiras de rodas, ainda discutiremos sobre outros tipos de cadeiras e suas especificações. Ah, e se ficou alguma dúvida, converse com a gente, entre em contato, mandem suas perguntas por aqui, ou pelas nossas redes sociais (instagram ou facebook) ficaremos muito felizes em trocar informações, desenvolver raciocínios clínicos e ajudar todas as pessoas que possuem interesse em ser cada vez melhor naquilo que fazem.

Contato


Rua Benedito Luiz Rodrigues, 499

Bairro Nova Petrópolis - 09770-590

São Bernardo do Campo - SP

+55 11 4330-0659